EMAIL US AT ajan@jesuits.africa
LIGUE AGORA (+254-20) 3884 528
DONATE TO OUR CAUSES

Hesitação vacinal em grávidas aumenta o número de hospitalizações em Covid

Por Kara Fox , CNN

(CNN) Gestantes que desenvolvem sintomas de Covid-19 corre o risco de complicações de emergência e outros problemas com a gravidez, de acordo com dois novos estudos. E a gravidez sozinha coloca as pessoas em um risco maior de doenças graves e morte. Mas, apesar desses riscos, as grávidas continuam sendo uma das populações que mais hesitam em vacinar nos Estados Unidos, de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC). Apenas 33% das pessoas grávidas entre 18-49 estão totalmente vacinadas, de acordo com dados do CDC de 2 de outubro, um número diminuído pelas taxas observadas no resto da população elegível para a vacina. Cerca de 66% das pessoas com 12 anos ou mais estão agora totalmente inoculadas nos Estados Unidos, com quase 77% dessa mesma faixa etária tendo pelo menos uma injeção. As taxas de vacinas são ainda mais baixas entre grávidas hispânicas ou latinas (28%) e negras (17,4%) - grupos minoritários que também apresentam resultados de saúde materna inaceitavelmente ruins, incluindo taxas desproporcionalmente altas de morte relacionadas à gravidez ou ao parto.

A relutância em se vacinar é provavelmente impulsionada pela orientação flutuante das autoridades de saúde no início da pandemia. Inicialmente, o CDC disse que as mulheres grávidas poderiam tomar a vacina, mas não a recomendou. Isso porque os estudos iniciais da vacina não incluíram intencionalmente grávidas, embora algumas participantes tenham engravidado durante os estudos. Mas que tudo mudou no verão . No final de julho, duas associações líderes de OBGYN deram seu apoio inequívoco à vacina e, em agosto, o CDC recomendou formalmente a vacina depois que os estudos não mostraram aumento do risco de aborto espontâneo. No mês passado, o CDC enviou um apelo urgente que recomendava fortemente que as gestantes recebessem a injeção imediatamente.

Ainda assim, persiste a baixa captação da vacina nesta população. E isso está se traduzindo em um aumento preocupante nas internações hospitalares, que está deixando algumas novas mães presas no hospital e lutando por suas vidas por semanas antes mesmo de segurar seus recém-nascidos. Outros nunca conhecerá seus bebês .

Pelo menos 180 grávidas morreram de Covid desde o início da pandemia, com 22 mortes registradas apenas em agosto, de acordo com o CDC. O as taxas de mortalidade entre este grupo são particularmente preocupantes, dado que as taxas anuais de mortalidade materna, excluindo a Covid, giram em torno de 700 anualmente. Mais de 22.500 grávidas foram hospitalizadas com Covid desde o início da pandemia, com 12% desses casos resultando em internação na UTI, de acordo com os números do CDC.

As perspectivas na Inglaterra são ainda mais sombrias. Uma em cada cinco pacientes da Covid com doenças graves no país são mulheres grávidas não vacinadas, disse o Serviço Nacional de Saúde (NHS) em um comunicado na segunda-feira. As mulheres grávidas representaram quase um terço (32%) de todas as mulheres com idades entre 16 e 49 anos na oxigenação por membrana extracorpórea (ECMO) - uma terapia médica usada apenas quando os pulmões de um paciente estão tão danificados que o ventilador não consegue manter os níveis de oxigênio, o NHS disse. Esse valor era de apenas 6% no início da pandemia. Os números do NHS foram divulgados para encorajar as mulheres grávidas a fazerem a injeção. A parteira-chefe da Inglaterra, Jacqueline Dunkley-Bent, disse que as estatísticas eram “outro forte lembrete de que a vacina Covid-19 pode manter você, seu bebê e seus entes queridos, seguros e fora do hospital”. Globalmente, as diretrizes de vacinas da Covid para grávidas e lactantes as pessoas ainda variam, com 51 países recomendando explicitamente que algumas ou todas as pessoas grávidas devem receber a vacina, de acordo com o COMIT Covid-19 Maternal Immunization Tracker. As vacinas são permitidas para grávidas em 53 países e em outros 23 países para pessoas que são profissionais de saúde essenciais ou que apresentam problemas de saúde latentes. Um total de 32 países ainda não recomenda a vacina para grávidas. Enquanto isso, dois estudos de pesquisadores nos EUA e na Bélgica sugerem que a incidência de Covid entre crianças parece ser comparável àquela entre adultos. Isso está levando as autoridades de saúde pública a considerar as mensagens em torno das estratégias de vacinação para crianças à medida que a implantação se estende a populações mais jovens.


YOU ASKED. WE ANSWERED.

Q: Do Covid vaccines affect pregnancy, fertility or periods?A: There’s much misinformation circulating around the claim that vaccines cause miscarriage and affect fertility. But they are not supported by scientific evidence.

Two studies published in September show that Covid vaccines do not increase the risk of miscarriage. Researchers at the CDC studied data from more than 2,000 pregnant people who got vaccinated. They found no higher risk among this group than for pregnant people in general. Miscarriages are common — between 11% and 22% of all recognized pregnancies end in miscarriages before 20 weeks of gestation, they said. This rate did not go up among the vaccinated, researchers said.

There is evidence the immune response prompted by both vaccines and viral infections can temporarily affect menstrual cycles. So studying these effects is important to mitigate any fears, according to Dr. Victoria Male, a reproductive specialist at Imperial College London. “Vaccine hesitancy among young women is largely driven by false claims that Covid-19 vaccines could harm their chances of future pregnancy,” Male wrote in the British Medical Journal last month. “Failing to thoroughly investigate reports of menstrual changes after vaccination is likely to fuel these fears,” she added.

“Most people who report a change to their period after vaccination find that it returns to normal the following cycle and, importantly, there is no evidence that Covid-19 vaccination adversely affects fertility,” Male said.Send your questions here. Are you a health care worker fighting Covid-19? Message us on WhatsApp about the challenges you’re facing: +1 347-322-0415.

All rights and credits goes Kara Fox, CNN.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

INSCRIÇÃO NA NEWSLETTER

Inscreva-se agora para receber atualizações por e-mail sobre os acontecimentos atuais na AJAN África.

pt_PTPortuguês