De acordo com vários analistas, a RDC em geral, e a sua parte oriental em particular, está significativamente atrasada na realização dos objetivos 90, 90, 90 da ONUSIDA, após a instabilidade política dos últimos 5 anos, caracterizada pela má governação, intolerância política e todas as outras formas de violência que ainda não revelam o seu nome no nosso querido e belo país. Esta situação provocou um sentimento de revolta, desespero, raiva e incerteza entre os jovens, a maioria dos quais está desempregada. Este quadro sombrio explica o abrandamento das atividades na luta contra o HIV e a SIDA, que se acentuou com a crise da Covid-19.

Apesar destes obstáculos, o Centro Maisha tomou a opção de trabalhar em favor do desenvolvimento dos jovens. Através do programa AHAPPY, o Centro Maisha apoia os jovens na realização dos seus projetos de vida e na eliminação do HIV. Embora respeitando as medidas indicadas como barreiras contra a Covid-19, o Centro organiza sessões de formação de 3 dias para educadores de pares (EP) vindos de diversas associações, clubes, grupos e movimentos de ação católica nas paróquias urbano-rurais de Kisangani.
Este ano, a primeira fase desta formação chegou à Paróquia da Consolata de Segama e à Paróquia de São Gabriel de Simi-simi, com uma participação de 20 pessoas, 13 homens e 7 mulheres. A segunda fase de formação será realizada na segunda semana de julho de 2020.

Esta formação não só reforçou a equipa de EP na luta contra o HIV, mas também revitalizou associações, clubes, grupos e movimentos juvenis na luta contra a Covid-19 e os antivalores. Os jovens são também encorajados a tomar conta de si próprios, a serem criativos (empreendedorismo) e a gerirem bem os seus grupos.
Durante estes três dias, vários temas do Programa Geração Feliz foram explorados, nomeadamente: apresentação do programa AHAPPY; um olhar sobre a situação da Covid-19 e do HIV na RDC e em Kisangani; o meu corpo e eu; sou uma criatura amada por Deus; noções básicas sobre a Covid-19; Deus e eu; desenvolver as minhas qualidades intelectuais; conhecimento sobre DST; as cinco dimensões da vida; os valores e as virtudes; fatores de risco e vulnerabilidades quanto à infeção pelo HIV nos jovens; técnicas de facilitação; etc.

No final da formação, 8 dos 20 participantes, 4 homens e 4 mulheres, concordaram voluntariamente em fazer o teste de rastreio antes de se entregarem à sensibilização dos seus pares. Este ato reflete não só a confiança dos jovens no trabalho do Centro Maisha quanto aos princípios de confidencialidade e supervisão, mas também a preocupação de pregar pelo exemplo e a determinação da nova equipa em levar os seus pares a conhecer o seu estatuto serológico, a fim de melhor se prevenirem.
Os jovens formados durante estes dias mostraram a sua alegria e vontade de transmitir a informação recebida dentro dos seus respetivos grupos e movimentos, para que cada jovem que faz parte dessas estruturas possa levar uma vida realizada. Esta reação positiva dos jovens alimenta a nossa esperança de superar o HIV&SIDA e a Covid-19, mesmo que o caminho ainda pareça longo.

Kisangani, 2 de julho de 2020
Norbert Bolenza Loose
Mentor de Jovens
Centro Maisha

Leave a Reply

error: contact communication@ajan.africa for this content