Existe uma sólida correlação entre a descoberta de si mesmos por parte dos jovens, a sua relação com Deus, o que eles consideram ser os seus valores e princípios de vida e o seu comportamento, que os pode predispor ou afastar de virem a contrair o HIV e a SIDA. Esta compreensão, que é fruto de pesquisa, juntamente com o conhecimento das DST, inspira a metodologia que a AJAN emprega para intervir contra este flagelo em África.

Acabados de fazer os seus exames finais nacionais do nível básico, e com idades compreendidas entre os 12 e os 15 anos, os jovens deram provas de uma manifesta afinidade para aprender acerca da vida. Para dar início ao exercício, foi introduzido o tema da descoberta de si próprios, através do qual se lhes permitiu que expressassem a compreensão que já tinham, antes de serem ajudados a compreender melhor e a descobrir mais. A este propósito, foram ajudados a entender a necessidade de terem os modelos corretos de comportamento a que fazer referência, uma vez que isso define o foco da sua vida.

Uma relação pessoal com Deus é fundamental para uma vida decente e virtuosa

A relação com Deus e o próximo modela o ser humano e está no centro das ações da AJAN ao proporcionar o AHAPPY. Desta forma, foi dada aos jovens a oportunidade de exprimirem a sua perspetiva acerca de Deus; foram também ajudados a adquirir um maior entendimento acerca de como isso devo modelar o seu comportamento. Foi-lhes apresentada como ponto de referência a importância de cada ser humano, tendo por base o valor que Deus lhes atribuiu, para os ajudar a aumentar a sua autoestima e a tratar os outros como a si mesmos, como diria Jesus.  Foram também ajudados a compreender que o ser humano pode cair, mas Deus está sempre à espera de braços abertos. Os jovens têm de edificar um fundamento sólido com base em valores e princípios intrínsecos para levarem uma vida com propósito. Por isso, os jovens presentes na Escola de Sta. Catarina, no bairro de Mukuru, provenientes de várias escolas dirigidas pelas Irmãs da Misericórdia (Sisters of Mercy), reconheceram a necessidade de serem pessoas honradas e que cumprem bem o seu papel na sociedade.

As dinâmicas das relações sexuais e a contração de DST, HIV e SIDA

De extrema importância foi o aumento do conhecimento do HIV e da SIDA por parte dos estudantes, complementado por uma melhor compreensão das DST, incluindo: fatores que expõem as pessoas a estas doenças, as suas vias de transmissão, os seus sintomas e como aceder ao tratamento. Os estudantes tinham muitas questões a colocar, uma vez que procuravam aprofundar o seu conhecimento, e os formadores responderam com carinho, atenção e de forma exaustiva. Ficou patente que o HIV e a SIDA continuam a ser uma questão que muito preocupa a todos e que, sem um compromisso pessoal pela abstinência da atividade sexual precoce, a possibilidade de contrair o vírus continua a ser elevada.

Debateu-se em profundidade o sexo antes do casamento e outras formas de comportamento sexual; a maior parte dos estudantes admitiu que tinha conceções erradas ou falta de conhecimento acerca destas questões em relação à vulnerabilidade ao HIV e à SIDA. Foi explicado que as DST, o HIV e a SIDA são agravados pelas práticas sexuais de risco, pelo que se apelou a que os estudantes as evitem e optem pela abstinência, para permanecerem em segurança e saudáveis.

Não deixou de ser mencionada a correlação entre a toxicodependência e o HIV e a SIDA, dado que uma parte daquele conjunto de estudantes está a seguir programas de reabilitação. A todos foi dado a conhecer que as drogas os predispõem para as doenças, uma vez que afetam negativamente a força de vontade e as funções mentais. Ficou claro que, para evitar o HIV, não se pode desenvolver o hábito pernicioso do uso de drogas.

Um momento de profunda introspeção e cura

Para terminar, na tarde do terceiro dia realizou-se um exercício para ajudar os estudantes a fazer experiência de uma forma de cura interior, sob a liderança do P. Elphège, o diretor da AJAN, que é também sacerdote. Os estudantes foram convidados a escrever desilusões, falhas, abusos, intimidações, injustiças e sofrimentos que tiveram de suportar na vida, devido aos seus erros ou que lhes foram impostos por outras pessoas. Este foi um momento de profunda introspeção e retrospeção, após o qual foi-lhes permitido queimar os papéis onde tinham escrito essas realidades, afastando-se assim por completo desses acontecimentos infelizes e desses pecados, e abrindo uma página em branco, no momento em que se preparam para entrar no nível secundário. O P. Elphège fez ainda um breve sermão a partir de João 8, sublinhando a capacidade que Jesus tem de perdoar todos os pecados em vez de condenar a humanidade.

Leave a Reply

error: communication@ajan.africa for content

Notice: Undefined index: prnt_scr_msg in G:\PleskVhosts\ajan.africa\httpdocs\wp-content\plugins\wp-content-copy-protector\preventer-index.php on line 171